Get Adobe Flash player

Alfalfa

Alfalfa


1000 MG.
Suplemento Alimentar
250 Comprimidos

COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido fornece: % DDR* (CEE)

Alfalfa (Folha) 1000 mg *
(Folhas de Alfalfa secas ao sol)

Dose Diária Recomendada DDR*

Outros ingredientes: Fosfato bicálcico. Carga mineral natural. Celulose vegetal (aglomerante), óleo vegetal (lubrificante). Agente de revestimento alimentar de origem vegetal. Produto isento de citrinos, milho, ovo, glúten, leite, sal, soja, amido, açúcar, trigo, levedura, ceras, solventes, corantes, conservantes e aromatizantes artificiais.

Adequado a vegetarianos.


PAI DE TODOS OS ALIMENTOS”

A alfalfa é uma erva originária do Irão, mas foi descoberta pelos Árabes, que apelidaram esta valiosa planta de ‘pai de todos os alimentos’. Alimentavam os seus cavalos com alfalfa, alegando que os tornava velozes e fortes. Tem um sistema radicular profundo, muitas vezes estendendo-se a 4,5 metros, fornecendo à planta uma rica fonte de nutrientes nem sempre encontrada na superfície do solo. A profundidade das raízes torna este produto rico em minerais e nutrientes.

A alfalfa é uma das mais eficazes ervas da natureza. É altamente nutritiva, contendo proteínas e aminoácidos. É uma grande fonte de vitaminas como as Vitaminas A, C, B2, B6, E, K e minerais como o ferro, cálcio, sódo, silício, magnésio, fósforo, potássio e cloro.

A alfalfa pode ser usada como laxativo e diurético natural. Tem sido usada no tratamento de infecções do trato urinário, rins, bexiga e disfunções da próstata.  Pode alcalinizar e desintoxicar o corpo, nomeadamente o fígado. Melhora a função da glândula pituitária e contém um agente antifúngico. Ainda ajuda a melhorar o leite para lactantes e a eliminar as cólicas dos bebés.

A alfafa é uma das mais saborosas e nutritivas forragens cultivadas nos EUA.


References:
1.  C.S.I.R. (Council of Scientific and Industrial Research). 1948–1976. The wealth of India. 11 vols. New Delhi.
2.  Duke, J.A. 1981a. Handbook of legumes of world economic importance. Plenum Press. NewYork.
3.  Duke, J.A. 1981b. The gene revolution. Paper 1. p. 89–150. In: Office of Technology Assessment, Background papers for innovative biological technologies for lesser developed countries. USGPO. Washington.
4.  Duke, J.A. and Duke, P. 1975. Organic energy farms: Will they free us? Org. Gard. (Sept). 135–138. Reissued in D. Wallace. Energy we can live with. (Book Chapter).
5.  Jenkins, B.M. and Ebeling, J.M. 1985. Thermochemical properties of biomass fuels. Calif. Agric. 39(5/6):14–16.
6.  Palz, W. and Chartier, P. (eds.). 1980. Energy from biomass in Europe. Applied Science Publishers Ltd., London.
7.  Parodi, L. 1964. Encyclopedia Argentina de agricultura y Jardinaria, Acme, Buenos Aires, 2 vols.

Product No. 6010
Esta declaração não foi avaliada pela Food and Drug Administration. Este produto não se destina a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença.



  • Facebook: 100010063560908
  • YouTube: MydoctorClinic

Conselhos de saúde do Prof. Carvalho Neto.