Get Adobe Flash player

O Ascendente

O Ascendente (Revista 14) - 23/10/2008

O primeiro acto de independência dum ser humano é a primeira respiração, que dá início a uma série de transformações biológicas e psicológicas.
No plano biológico o nativo passa a ter uma digestão e uma circulação sanguínea e energética autónomas, embora continue por muito tempo ligado psiquicamente, à família e em especial à mãe, fontes de alimento físico, emocional e mental que supre as carências básicas desse começo. No plano psicológico, torna-se consciente, através das sensações orgânicas internas e externas, das suas necessidades de nutrição afectiva, e essa consciência determinará as possibilidades de crescimento futuro.

A predisposição com que o recém-nascido vai encarar as experiências da sua vida está simbolicamente representado no céu de nascimento. Ora, o primeiro acto respiratório dá-se num momento e num lugar específicos e é por isso que a posição do horizonte desse lugar ganha uma importância particular. Esse horizonte em grande medida mostra a forma como o recém-nascido recebe os influxos energéticos do momento e isso condicionará a sua capacidade de assimilação das experiências vindouras. Desse plano do horizonte, o símbolo mais característico da sua individualidade é o Ascendente, porque está intimamente relacionado com o acto da primeira respiração, e esta sempre esteve conotada com o espírito em quase todas as antropogéneses religiosas.

Veja-se, por exemplo, o sopro do Logos Criador na formação do Cosmos das tradições esotéricas, o sopro divino nas narinas de Adão da tradição cristã, ou a respiração de Brahma no pulsar dos universos ou ainda a palavra Atman, que significa Espírito na tradição hindu e é a raiz do verbo alemão que significa respirar.
A Astrologia é uma linguagem que descreve esse ambiente em que o recém-nascido começou a sua experiência na Terra e tem como objecto de análise o céu do momento de nascimento, observado do lugar de nascimento. E esse céu que simbolicamente condiciona o envoltório energético e os campos psicológico e espiritual da terra, que servem de matriz ao desenvolvimento do ser que acaba de chegar à biosfera e que determina o âmbito da sua experiência.

Dado que a experiência à superfície da Terra é referenciada astrologicamente através da elíptica, a interacção desta com o horizonte cria, do lado oriental, o Signo Ascendente que, como o próprio nome indica, é o signo que está a ascender no horizonte no momento natal, e do lado ocidental, o Signo Descendente. Estes dois signos são da máxima importância, porque caracterizam a forma como o indivíduo se vai orientar perante a experiência relacional e como vai adquirir auto conhecimento e afirmar as suas características, pois a sua realização dependerá do conhecimento que tiver de si próprio, bem como dos seres à sua volta.Todos os factores astrológicos são produzidos em pares de opostos polares: a conjunção cumpre-se na oposição, os signos afirmativos completam-se com os signos receptivos, o oriente realiza-se através do ocidente, etc. O Ascendente complementa-se, portanto, através do Descendente, isto é, o estudo do Ascendente dum dado mapa pressupõe o exame dos conteúdos do Signo Descendente.

Se o Ascendente é a maneira característica de um indivíduo afirmar as suas características, o Descendente mostrará o tipo de pessoas e acontecimentos que o nativo tenderá a atrair, embora dum modo muitas vezes inconsciente.Na linguagem comum, a expressão "os horizontes do indivíduo" significa o alcance mental, a visão, a capacidade de abrangência, enfim, o grau de consciência da pessoa em causa. Somos tentados a dizer que essa expressão idiomática é um conceito astrológico, pois o horizonte é o plano da consciência individual: consciência do próprio (Ascendente) e a consciência que temos dos nossos associados e parceiros (Descendente). Simboliza o plano da experiência e esta tem por objectivo final a expansão da consciência. Coloquialmente, quando dizemos que temos experiência num determinado ramo de actividade, queremos com isso significar que ganhámos consciência ou estamos conscientes do modo de funcionamento dessa esfera de actividade, queremos com isso significar que ganhámos consciência ou estamos conscientes do modo de funcionamento dessa esfera de actividade.

Por consequência, o horizonte astrológico mostra a possibilidade de experimentar e ganhar consciência de nós próprios e dos outros, isto é, das nossas capacidades e limitações, daquilo que os outros representam para nós. No lado ocidental, o horizonte revela as pessoas e as oportunidades de relacionamento, possibilitando o auto conhecimento através da interacção pessoal. No Ascendente (lado oriental), orientamo-nos, isto é, tentamos controlar as circunstâncias das nossas vidas. Assim sendo, do lado oriental afirmamos as nossas características e somos senhores do nosso destino: do lado ocidental aproveitamos as oportunidades que a vida nos concede, estando, portanto, dependentes do ambiente circundante.

Por ser o começo da Primeira Casa astrológica, que se situa abaixo do horizonte e portanto no reino da subjectividade, o Ascendente representa a percepção intuitiva dos nossos potenciais que tenderão a actualizar-se com a experiência e o passar do tempo. Por todas essas razões, o Ascendente é o ponto mais característico da nossa individualidade, e neste sentido representa o projecto espiritual, que consiste em, a partir dum potencial original, actualizá-lo através da experiência. Inicialmente existe somente um impulso, que através da acção se converte em percepção e com a experiência ganhamos uma noção cada vez mais clara das nossas capacidades e limitações, que subsequentemente nos orienta no processo de auto-afirmação e realização.No seu aspecto mais profundo, o Ascendente mostra o objectivo fundamental da alma para esta vida. Todavia, num plano mais superficial, mas mais fácil de referenciar, o Ascendente é a expressão da personalidade na sua forma mais característica. Pode ser visto como uma porta por onde manifestamos o nosso ser e interpretamos o mundo ou um filtro com que observamos a vida e que dá colorido à nossa expressão.


  • Facebook: 100010063560908
  • YouTube: MydoctorClinic

Conselhos de saúde do Prof. Carvalho Neto.