Get Adobe Flash player

Alimentação do Homem evoluído

Revista n.º 14 – Alimentação do Homem Evoluído -24/07/2008

Alimentação e o Homem Evoluído, Intervenção do Prof. Carvalho Neto no IIIº Fórum de Medicinas Naturais
Em primeiro lugar quero pedir-lhes desculpas por não poder estar pessoalmente. Um compromisso já assumido anteriormente para o Congresso Internacional de Iridologia em Bruxelas, representando Portugal, forçou-me a esta ausência. Ainda assim não quis deixar de passar a minha mensagem, pois se um carvão não aquece ninguém, muitos carvões juntos fazem uma fogueira.

Deleguei esta mensagem num amigo, estudioso dedicado da Naturologia, finalista do curso Geral de Homeopatia e Medicina Tradicional do Colégio Internacional de Ciências Tradicionais, que fundei, também meu colaborador na revista Medicina Alternativa e no suplemento "O Homeopata", o Sr. Eng.º João Matos, que poderá responder a algumas das vossas questões no final desta leitura, se for caso disso.
Quero cumprimentá-los por mais uma vez estarem presentes dando suporte a uma iniciativa que em tudo dignifica a Medicina Tradicional no nosso país e cumprimentar também a Câmara Municipal de Cascais por esta iniciativa que mantém já como tradição nos últimos anos. Quero cumprimentar também o Sr. Prof. Carlos Ventura, um dos colegas mais antigos nesta nobre arte e vida que é a Naturologia pois tem sido dele todos os esforços físicos para concretizar esta acção, dentre outras de igual mérito para as quais nunca recusa a sua contribuição.
Antes de falarmos da Alimentação no Futuro, falemos primeiro na Naturologia, pois sem a compreensão deste fenómeno que se começou a notar nos últimos anos, O Homem e o Seu regresso à Natureza, não perceberemos também o porquê de um regime vegetariano.
A Naturologia é um ambiente comum a todas as práticas que concernem à vida do Ser Humano de acordo com a natureza e não apenas como algumas pessoas parecem pensar recentemente, apenas a arte de curar. À arte de curar de acordo com a natureza e as diversas formas que se tem apurado ao longo de milénios, dá-se o nome de Naturopatia.
A naturologia é antes de mais uma Arte de Viver. Viver de acordo com a natureza. Respeitando a Natureza.Respeitar a natureza, não é preocuparmo-mos apenas com o Lixo, os resíduos que levarão milhares de anos a poluir o Planeta antes de serem naturalmente absorvidos. Nem apenas a preocupação com os metais pesados e a intoxicação para o ser humano. Nem apenas a preocupação com os incêndios que destroem anualmente milhares de quilómetros quadrados. Preocuparmo-nos com a Natureza é de facto preocuparmo-nos com tudo o que ficou dito, mas, muito mais do que isso. Temos que nos preocupar com os animais.

Não podemos continuar a apregoar os valores ecológicos apenas no que se refere aos minerais e vegetais e deixar de lado os animais, querendo continuar a acreditar que os animais estão no planeta apenas para nosso prazer. Prazer de ter o ronrom do gato em casa, ou os latido e lambedelas do cachorro, ou um animal exótico como uma catatua ou uma iguana retiradas do seu habitat, paraíso natural para poder apenas fazer figura e mostrar aos amigos. Ou continuar a acreditar que os animais estão no planeta para nos saciar a fome e fazer como a maioria e comer tudo o que mexe.

Porque não fazer como os chineses?
Deixem-me contar-vos uma história:
Uma senhora conhecida acompanhou o esposo durante uma comissão em Macau. Poucos dias depois de lá estar visitou o mercado para fazer as suas compras para a casa. Ao passar por uma das bancadas viu uns cachorrinhos e logo se enamorou de um. Perguntou à mulher da banca quanto custava o cachorro e comprou-o. A mulher pediu-lhe para esperar e entrou dentro da casa com o cachorro. A senhora pensou: - Bem deve ter ido dar uma escovadela no cachorro. Passaram-se uns cinco minutos e a mulher vem de volta e deposita um embrulho nas mãos da senhora. Era o cachorro, ou seja: o cadáver do cachorro. A Senhora claro, ficou para morrer. É uma criatura muito sensível que várias vezes esteve à beira de esgotamento nervoso.
Nós também ficamos impressionados com estas histórias de outras culturas, não é verdade? Claro que é verdade, mas também é verdade o que os chineses dizem:Porque é que se há-de matar um boi para comer, que é um animal de trabalho e não se há-de poder matar um cão ou um gato que não fazem nada e só dão despesa."É claro que o moral da história, não é para passarmos a comer também os animais domésticos sobretudo quando a fome apertar, mas meditarmos sobre esta história e percebermos como errado tem estado a nossa conduta, o nosso modo de viver, matando ou deixando outros matar para comermos.
Porquê sacrificar as espécies animais para nosso puro prazer se podemos sobreviver sem participar neste homicídio colectivo, neste genocídio animal? Do alto do meu metro e noventa e cento e vinte quilos de peso, eu afirmo-vos que sou vegetariano, não como carne nem peixe há mais ou menos vinte anos e sou saudável, deixei de ser carnívoro pelas razões filosóficas que vos contei atrás e os resultados mais visíveis que obtive, foram sobre o meu lado emocional. Melhorei imenso ao deixar de comer os animais. Passei a controlar melhor as minhas emoções, perdi irritabilidade e agressividade, mas este é o testemunho que vai ouvir de todos aqueles que se tornaram vegetarianos.

Sejamos vegetarianos e demos o nosso contributo para uma sociedade futura mais calma, mais tolerante e mais respeitadora.Será que a maioria de nós ainda não cresceu o suficiente, para se preocupar com os animais. Claro, já sei, preocupam-se imenso na boa saúde dos animais, ter as vacinas em ordem, mantê-los desparasitados e sem "constipações" etc.... Aqui estamos a falar dos animais domésticos. É preciso mantê-los de modo a não provocarem alergias lá em casa, boas algumas pessoas, mesmo com estes bichinhos, quando chega a altura das férias, ficam com a alergia do comodismo e deixam o animalzinho incómodo na primeira esquina para irem de férias à vontade. O que vos estou a falar é de níveis de consciência. Fazemos parte de todo um projecto de evolução do Universo. Milhares de espécies evoluem neste Universo. Os animais são apenas mais uma das formas de vida tal como nós humanos. Não temos o direito de punir outra manifestação de vida com a morte. Nem se trata de sobrevivência com o que alguns mais arreigados defensores do regime carnívoro se querem desculpar pois para isso já ficou demonstrado com as minhas características físicas. Também o meu filho tem 15 anos, 1,80 m de altura, 74kg de peso, um corpo de atleta, estudante sempre do quadro de honra com extra curriculares em educação musical, praticante de artes marciais e um carácter doce e amoroso, já nasceu vegetariano, não revela quaisquer deficiências de nutrição quer a nível físico ou intelectual evidenciando além do mais um excelente carácter.

Cada dia que passa assistimos a mais pessoas a tornarem-se vegetarianas, isto quer dizer que o padrão de consciência está a melhorar na humanidade. Estamos rapidamente a passar de uma fase ainda com vestígios animalescos para uma fase realmente humana, como queremos que o nome indique. Muitas pessoas também hoje começam a aderir a um regime vegetariano por cientificamente perceberem as doses maciças de toxinas que ingerem diariamente consumindo carne e derivados animais. Numa sociedade de consumo como a actual, o entre aspas "fabrico de animais" tornou-se numa das actividades mais rentáveis para a economia de todos os países. Este facto por si só deveria ser mais do que suficiente para fazer pensar as pessoas. Não é por acaso que aparecem as vacas doentes, logo seguidas da epidemia das galinhas, para não falar das já ancestralmente conhecidas do porco. Quando um negócio como o dos animais se torna tão lucrativo, é claro que todos os envolvidos, desde o produtor ao governo estão interessados no mínimo de percas e isto vai forçosamente implicar nesta sociedade como a conhecemos um bombardeio químico desde o primeiro dia do nascimento do animal, para já não falar nas modificações genéticas. Quem é que depois vai pagar? O consumidor claro. Nota-se da parte dos jovens hoje, com formação académica uma fuga ao consumo destes produtos. Portanto a natureza, preservadora das suas criaturas, em equilíbrio sinergético acaba por controlar de uma forma ou de outra este descalabro.
Ou sabemos parar em quanto é tempo, ou ela acabará por fazer com que isso aconteça através de epidemias e mutações. Deixo-vos com três propostas para reflexão:
"O Homem deveria ser hoje o mentor dos animais, ao contrário continua a ser o seu principal predador."
"Nenhuma espécie no Universo pode evoluir à custa de outra espécie."
"O Homem evoluído não mata nem sacrifica, vive em paz e ensina a Amar."


  • Facebook: 100010063560908
  • YouTube: MydoctorClinic

Conselhos de saúde do Prof. Carvalho Neto.