Get Adobe Flash player

Algumas regras

Revista n.º 9 - Algumas regras - 24/07/2008

Algumas regras para uma boa alimentação Numa aula prática sobre o melhor meio de ajudar as pessoas a curarem-se dos seus problemas de saúde, os alunos ficaram deveras admirados quando ficou estabelecido como Regra - Geral - Muito - Importante - A - Não - Esquecer o aconselhamento para mudarem o regime alimentar dos pacientes.Tem tudo a ver com a alimentação? Perguntaram incrédulos.
Claro, que tem! Por vezes aceitamos bem as ideias enquanto teóricas, mas quando as vemos postas na prática, fica-mos um pouco incrédulos: " Será mesmo assim?"Tudo tem a ver com a nossa alimentação, tudo o que comemos e bebemos, transforma-se em "combustível" precioso para a nossa maravilhosa máquina, não menos preciosa.As pessoas devem saber o que não devem fazer, a opção cabe sempre ao próprio, mas se for coerente e gostar de si o suficiente, começará a ter cuidado mesmo que isso implique alguns pequenos sacrifícios de início.Passo a citar algumas regras para uma boa alimentação, vulgares em qualquer compêndio de nutrição:
1.    Não coma fritos, nem utilize os óleos reaquecidos.
2. Se não estiver totalmente confortável de espírito e de corpo, não coma.
3. Não coma a não ser que sinta desejo de comida simples.
4. Não coma demasiado.
5. Certifique-se de que tem uma boa mastigação.
6. Não faça todas as refeições se tiver com dores, aborrecido, sem apetite, com frio, com calor e durante a doença.


Parecem conceitos demasiado simples, para nos determos sequer a pensar neles, mas esperem um pouco e vejam por vós mesmos se são incoerentes.
Primeiro, todos sabemos que os fritos são de difícil digestão, e devido à sua hidrogenização ficam mais ricos de colesterol, e todos nós sabemos quais são os inconvenientes de ter um valor de colesterol elevado. Os óleos ao serem utilizados com altas temperaturas, para fritar por exemplo, formam um tóxico que é prejudicial à nossa saúde.
Segundo, de facto quantas vezes depois de um almoço (porque é hábito almoçarmos todos os dias) não ficámos com uma sensação de peso, de dificuldade de digestão sem causa aparente a não ser o facto de estarmos preocupados, tristes ou ansiosos com determinado assunto?
Terceiro, a "fome" que sentimos de repente por este ou aquele petisco, não é saudável, muitas vezes isso significa que o nosso organismo está carente deste ou daquele elemento, portanto em desequilíbrio.
Quarto, é de bom senso, se a pessoa se empanturrar fica mal disposta, irritada, o trabalho não rende, e todo o prazer que teve em comer acaba por perder-se, e nem lhe falem em comida nas próximas horas ...
Quinto, é fundamental, apesar de 99% das pessoas nem sequer se dar conta disso. Não mastigam, engolem a comida praticamente inteira, e existem alimentos, como por exemplo os amidos que começam o seu processo de transformação logo na boca, ao serem mastigados e ensalivados.
Sexto, o organismo tem os seus próprios processos de economia, e como se costuma dizer não se deve ter duas frentes batalha, portanto se tivermos com dores ... devemos evitar comer, para que o organismo não tenha que dividir a sua energia abalada por dois processos que requerem um esforço especial.
Como vêem são conceitos simples e fáceis de serem seguidos, desde que dediquemos um pouco de atenção e cuidado ao nosso bem estar.Se nos sentirmos bem, teremos saúde e poderemos concluir: "Como somos felizes!"


  • Facebook: 100010063560908
  • YouTube: MydoctorClinic

Conselhos de saúde do Prof. Carvalho Neto.